Saiba como identificar o câncer no coração

Saiba como identificar o câncer no coração
Geralmente enfraquecido por patologias como o colesterol e a hipertensão arterial, o coração também pode ser alvo do câncer. Ainda pouco conhecidos, os tumores cardíacos passam despercebidos da grande maioria da população. Um fator que dificulta a identificação da doença é a ausência de sintomas.
 
Os tumores de coração podem se apresentar de duas formas. Quando a origem está no próprio tecido do músculo cardíaco, eles são denominados primários, e são secundários quando resultam de metástase de algum outro câncer pré-existente. “Em casos mais avançados da doença, que podem levar o paciente à morte, é muito comum já haver um comprometimento metastático do coração também”, pontua o cardiologista do Centro do Coração de Londrina, Ricardo Rodrigues.
 
Mas de acordo com o especialista, casos em que o coração é o alvo direto do câncer são bastante raros. “Pode acontecer em alguns casos em que a doença está mais avançada ou de alguns cânceres no rim e nos órgãos genitais, em que ele cresce pela veia cava”, explica Rodrigues.
 
O câncer é atualmente uma das doenças que mais mata no mundo, com cerca de 8 milhões de óbitos anuais. Entre os mais comuns estão o câncer de próstata e o de mama, que são alvos de campanhas da Organização Mundial de Saúde (OMS) todos os anos.
 
O cardiologista reforça ainda que o tumor cardíaco, ao contrário de outras cardiopatias, podem acometer pessoas de todas as idades e diferentes hábitos de vida. “A incidência do câncer do coração é maior em idosos, mas os primários podem acometer qualquer pessoa, especialmente adultos jovens”, aponta o médico.
 
Este, no entanto, não é motivo para qualquer pânico. O cardiologista explica que a localização do tumor pode facilitar o tratamento. “Se o tumor for benigno e estiver em um local de fácil acesso, como acontece na maioria dos casos, uma cirurgia quase sempre é suficiente para corrigir o problema sem deixar sequelas”, destaca.
 
“Este procedimento leva à cura na grande maioria dos casos e o retorno da doença é pouco comum. No caso do tumor maligno recidir pode ser indicada o tratamento à base de radioterapia e quimioterapia, porém o resultado costuma não ser o esperado”, acrescenta o cardiologista de Londrina.
 
Pacientes com tumor no coração podem apresentar taquicardia, falta de ar, perda da capacidade física, e até uma embolia ou um derrame. “Mas casos assintomáticos não são raros”, pontua Rodrigues.
 
O diagnóstico da doenca é feito por exames de imagem de rotina, como o ecocardiograma e a tomografia. “É muito importante manter os check-ups, justamente pelos sintomas, que podem facilmente se confundir a outras doenças”, encerrou o médico.
em frente à clínica

Estacionamento parceiro

desconto especial para pacientes do centro do coração