Notícias

#DicadaNutri - Tudo sobre o Jejum Intermitente

JEJUM INTERMITENTE (JI)

É um dos protocolos mais seguidos e estudados atualmente. Para a adesão é imprescindível o acompanhamento de um nutricionista, a fim de avaliar se essa é mesmo a melhor estratégia para o seu objetivo e qual o melhor protocolo a ser seguido com segurança.

 

A prática do jejum é tão nova assim? 

O primeiro estudo sobre jejum intermitente foi publicado em 1956, pela Rev Clin Espanhola Vallejo EA. Em 1978 iniciaram as pesquisas sobre o jejum de Ramadã. O jejum já é praticado há milênios, e Platão (428 a.C. a 348 a.C) já dizia “faço jejum para maior eficiência física e mental”.

 

Afinal, o que é o Jejum Intermitente?

O Jejum Intermitente é uma estratégia nutricional com redução do consumo energético e manutenção da qualidade nutricional. Normalmente é planejado em dias alternados e por um tempo determinado, que pode variar de 8 a 24 horas de restrição alimentar, sendo realizado de 1 a 3 vezes por semana. No jejum intermitente de 12 horas, por exemplo, faz-se a última refeição do dia anterior, o jantar, dorme-se por no mínimo 8 horas e realiza-se a próxima refeição às 12 horas, o almoço. Basicamente não se faz café da manhã e lanche da manhã.

 

Quais os efeitos do jejum intermitente no organismo?

Estudos apresentam diversos resultados como maior oxidação de gordura (emagrecimento), redução dos níveis de insulina, diminuição de LDL colesterol, redução da pressão arterial, modulação da inflamação, longevidade, etc.

 

Para quem o jejum intermitente é indicado?
Para quem já faz acompanhamento nutricional, tem uma alimentação saudável e não obteve sucesso com outras estratégias nutricionais. Deve ser prescrito pelo nutricionista e acompanhado com muito critério.

 

Quem não pode fazer o jejum intermitente?

> Crianças, gestantes e idosos

> Indivíduos com sistema imunológico deficiente

> Pessoas com crises de enxaqueca

> Pessoas com anemia

> Pacientes com insuficiência renal     

> Pessoas em uso de medicações controladas

 

O que consumir no período de jejum?

Água, chás e café (sem adoçar).

 

O que consumir no período de alimentação?

Depende do protocolo, siga a orientação do seu nutricionista.

 

Efeitos no início do jejum:

·      Hipoglicemia

·      Tontura

·      Fraqueza

·      Enjoo

·      Cansaço

·      Insônia

·      Irritabilidade

·      Agressividade

·      Baixo rendimento na atividade física de resistência e força.

 

Outros possíveis efeitos:

·    Desconforto intestinal

·    Distensão abdominal

·    Sono de má qualidade

·       Carências nutricionais (quando não bem planejado ou seguido).


Fonte: Nutricionista Lilian Lourenço

Centro do Coração


VEJA TODAS AS NOTÍCIAS.