Notícias

Quem sofreu infarto deve evitar atividades físicas de alta intensidade para sempre?

A prática de atividades físicas deve fazer parte do dia a dia de quem deseja se prevenir de problemas cardiovasculares, como o infarto, e assim, manter uma vida saudável. Quem já infartou uma vez deve continuar praticando exercícios. No entanto, deve prestar atenção à intensidade das atividades para não prejudicar a recuperação do corpo e não propiciar a ocorrência de um novo evento deste tipo.

A rotina de atividades de uma pessoa que já sofreu um infarto depende principalmente de quanto tempo se passou desde o problema. “Na primeira fase, ou seja, hospitalar, a orientação é feita pela equipe do hospital, geralmente pelo fisioterapeuta. Logo após a alta, deve continuar seguindo as recomendações da equipe médica e de fisioterapia”, afirma o cardiologista Laércio Uemura.

Já nos primeiros dias depois do infarto, a orientação é começar a se movimentar com atividades mais leves. “No início, fazer atividades do lar, como lavar louças, arrumar compras, pendurar, passar e lavar roupas e regar plantas, e após a liberação médica, pode começar a caminhar, sendo que a sensação de cansaço deve ser leve”, indica o profissional.

Para aumentar a intensidade dos exercícios físicos, é necessário se consultar com um médico, já que o infarto e suas repercussões variam de acordo com o paciente, do tempo de atendimento e do tipo de tratamento recebido. “Geralmente, o paciente é liberado para exercícios mais intensos após seis meses, depois da realização do teste ergométrico e com orientações individualizadas”, explica o especialista.

Para o clínico geral, o ideal é que os pacientes fossem orientados dentro de um programa de reabilitação cardíaca, pelo menos nos primeiros seis meses depois do infarto. Nem sempre isso é possível, mas é importante lembrar que o sedentarismo não deve ser uma opção. Os exercícios melhoram a qualidade de vida e auxiliam na prevenção de eventos, controlando a pressão arterial, o peso, a taxa de glicose e de colesterol.

Dr. Laércio Uemura é cardiologista, formado em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e especialista em Medicina Intensiva. CRM-PR: 9807

Foto: Shutterstock

VEJA TODAS AS NOTÍCIAS.