Área Médica

Colesterol - Na medida certa é imprescindível !

  Texto: Dra. Jocelem Mastrodi Salgado

 

O nome colesterol vem do grego e significa "cálculo biliar" em função exatamente de ser o principal componente destes cálculos e foi dado pelo químico francês Michel Eugene Chevreul em 1815. Na realidade Chevreul chamou esta substância de "colesterine", mas outro químico francês, Pierre Berthelot, descobriu que o colesterol era um álcool e acrescentou o sufixo OL na palavra.


Encontrado exclusivamente nos produtos de origem animal, o colesterol é agrupado à família das gorduras. Além de estar presente nos alimentos que ingerimos, boa parte do colesterol é produzida no nosso organismo, principalmente pelo fígado, e está presente em várias partes do corpo, sendo abundante no líqüido biliar (bílis). Assim, o colesterol presente em nosso organismo tem origem em duas fontes: cerca de 30% é fornecido pela alimentação e os outros 70%, pelo próprio organismo que o fabrica.


Quando a pessoa aumenta a ingestão de colesterol da dieta, a alta ingestão não afeta a produção de colesterol pelo organismo ou a taxa em que o colesterol é convertido para ácidos biliares.

 

Mais Mocinho Que Bandido

 

Geralmente associado a coisa ruim, o colesterol paga por quase todos os males do coração. Mas pouca gente sabe o quanto ele é importante para o bom funcionamento do organismo. O colesterol é indispensável na:

 

· produção dos hormônios andrógenos (masculinos) e estrógenos (femininos) que tornam possível a reprodução humana;

· construção e restauração contínua das membranas que envolvem as células;

· composição do ácido biliar que regula a digestão dos alimentos;

· síntese de vitamina D - responsável pela permanente reconstituição dos ossos do corpo humano.

 

O colesterol, juntamente com outras gorduras, tornam a pele mais resistente à vários agentes químicos e à absorção de substâncias hidrossolúveis (solúveis em água). O colesterol e outros lipídeos são altamente inertes a ácidos e a certos solventes, o que serve para prevenir a sua penetração no corpo. A evaporação de água pela pele é evitada pela presença do colesterol e de outros lipídeos.

 

O Problema Está No Excesso

 

Na medida certa, o colesterol é imprescindível para a saúde, mas em excesso, entope os vasos sangüíneos e pode levar ao infarto.


Embora os alimentos forneçam menos colesterol do que a quantidade fabricada no nosso corpo, algumas pessoas, dependendo da dieta alimentar ou de sua herança genética, podem ter problemas com ele. O colesterol em excesso costuma depositar-se sob a forma de placas nas paredes interiores das artérias (processo chamado de aterosclerose). Esses depósitos de gordura ricos em colesterol atraem compostos de cálcio que engrossam e enrijecem ainda mais as artérias (levando a arteriosclerose). Com isso, a passagem do sangue é obstruída e coloca em risco o funcionamento do coração.


A medida de colesterol que é relacionada com as doenças cardiovasculares é feita examinando-se o sangue da pessoa e é expressa em miligramas por decilitro de sangue. Indivíduos com valores abaixo de 200mg/dL são menos propensos a terem doenças cardiovasculares do que aqueles com leituras acima de 240mg/dL.


O nível de colesterol no sangue é influenciado, principalmente pela quantidade dele na dieta e pela quantidade de gorduras saturadas na dieta. As gorduras saturadas facilitam o aumento de colesterol no sangue, quando comparadas com as insaturadas.


Além disso, a presença de gorduras saturadas no corpo facilita a produção natural de colesterol pelo organismo. Isto é a razão de que limitar apenas a ingestão de colesterol não é suficiente para prevenir a aterosclerose.


Atualmente, recomenda-se que a ingestão diária de colesterol não exceda 300mg e que o teor total de calorias das gorduras não ultrapasse 30% do valor calórico total.

 

Fontes De Colesterol Na Dieta

 

Alimentos com grande quantidade de colesterol:

 

· na gema do ovo, no fígado, no rim, no pâncreas, no timo da vitela, no cérebro, frios e embutidos em geral e nas ovas de peixe.

 

Alimentos com moderada quantidade de colesterol:

 

· gordura da carne, no leite integral, em cremes, em sorvetes, nos queijos (principalmente nos amarelos) e na manteiga.

 

Alimentos com pouco ou nenhum colesterol são:

 

· as frutas, vegetais, cereais, pães, clara do ovo, peixe pouco gorduroso, carne muito magra e sopas feitas sem gordura e com leite desnatado.

 

Fatores Da Dieta Que Afetam O Nível De Colesterol

 

Foi demonstrado que a ingestão de gorduras na dieta tem efeito no nível de colesterol do sangue. As populações (Estados Unidos, Grã-Bretanha e Finlândia) que consomem dietas ricas em gorduras têm níveis relativamente altos de colesterol no sangue. As populações (Japão e Itália) que têm pequena ingestão de gorduras, normalmente tem níveis relativamente baixos de colesterol sérico.

 

Os fatores da dieta que afetam essa concentração podem ser resumidos da seguinte maneira:

 

1. Uma alta ingestão de colesterol normalmente aumenta o nível de colesterol sanguíneo em alguns miligramas por 100 ml. O fígado normalmente compensa uma alta ingestão de colesterol pela síntese de pequenas quantidades e por converter mais colesterol para ácidos biliares. Todavia, esse mecanismo de controle varia de uma pessoa para outra e possivelmente de uma raça para outra.

 

2. Uma dieta contendo apenas gordura saturada (manteiga, óleo de coco, gordura de carnes, banha) aumenta o nível de colesterol sanguíneo tanto quanto 40 a 50 mg por 100 ml.

 

3. Uma ingestão dietética de gorduras polinsaturadas como óleo de milho, canola, girassol efetivamente abaixam os níveis de colesterol sérico.

 

4. Há evidências que sugerem que fibras na dieta podem reduzir o colesterol sérico por se ligarem aos ácidos biliares, ou favorecerem o crescimento de uma flora intestinal que produza ácidos biliares secundários, não tão bem absorvidos como os outros ácidos biliares primários.

 

5. Excesso de secreção de hormônios da tireóide (hipertireoidismo) causa um decréscimo nos níveis sanguíneos de colesterol. No diabete mellitus os níveis de colesterol sanguíneo aumentam provavelmente devido a um aumento da mobilização de lipídeos.

 

Fatores Não Dietéticos Que Afetam O Nível De Colesterol

 

Uma crescente evidência sugere que os níveis de colesterol no sangue estão diretamente relacionados ao exercício físico. Assim, esta evidência favorece uma vida ativa e contínua de trabalho muscular. Sexo e hormônios também tem sido mencionados como fatores e a arteriosclerose é mais comum em rapazes do que em moças. 


Durante os anos férteis, as mulheres tem relativamente pouca doença cardiovascular e os níveis sanguíneos de gordura são relativamente baixos. Após a menopausa há maior frequência de tais desordens e níveis mais elevados de colesterol no sangue. Isto sugere que os hormônios sexuais femininos representam um fator protetor. Breves agressões repetidas, resultantes de febres, infecções, intensa perturbação emocional, fadiga, tensão e obesidade também são fatores responsáveis. 


Em certas doenças, tais como o hipotireoidismo, nefrose, diabetes, doença hepática obstrutiva e pancreatite, há mais lipídeos no sangue do que normalmente, e a arteriosclerose é frequentemente associada a estas condições. A gravidez e os anticoncepcionais contendo estrógeno também reduzem a hiperlipidemia. Os triglicerídeos séricos (gorduras) podem ser elevados também pelo uso do álcool.

 

Cuide bem do seu organismo, preocupando-se com aquilo que você come. 

 

Fonte: http://www.sanavita.com.br

 

 

Faça o download do arquivo clicando Aqui

VEJA TODOS OS ARTIGOS.